terça-feira, 28 de outubro de 2014

O PT É REFÉM DO PMDB. MICHEL TEMER SÓ NÃO SERÁ PRESIDENTE SE NÃO QUISER

Pouca gente atentou para um fato, mas esse fato preocupa, e muito o PT ...
O Fator PMDB de Michel Temer.

O PT, sem o PMDB não é nada, e o vice presidente, é, por coincidência, o Presidente do PMDB.

Caso o presidente da república venha a sofrer um processo de impeachment, ou impedimento na linguagem tupiniquim, quem assume é o vice.

Se esse impedimento ocorrer ao final do mandato de um presidente reeleito, o vice assume e convoca novas eleições num prazo máximo de 90 dias; caso esse impedimento venha a ocorrer depois de empossado, o vice completará o mandato para o qual foi eleito.

Para que o processo de impedimento ocorra quem deve encaminhar o pedido é o presidente da câmara; é ele quem decide se aquiva ou encaminha para a abertura do processo.

Estamos ao final do mandato de Dilma Rousseff, e existe um consenso em quase que a totalidade dos partidos de que, o que importa é apear o PT do poder, não importando quem vá assumir.

Agora, raciocinem comigo:
O PT ficou com 70 deputados para a próxima legislatura, o PMDB com 66,  e o PSDB 54, e, a câmara tem hoje uma composição muito estratificada, portanto, vai exigir um prolongado trabalho para o PT recompor a sua base de apoio.

Ao contrário do PT, Michel Temer tem um diálogo razoavelmente tranquilo com o PSDB, PSB, SD e PROS o que seria um facilitador numa eventual composição.

O atual presidente da câmara, a quem caberia decidir sobre uma eventual abertura de procedimento de Impeachment é do PMDB, e é um homem de confiança do Michel.

Henrique Eduardo Alves, presidente da câmara, foi traído por Lula e Dilma na sua pretensão de se tornar governador do Rio Grande do Norte, pois, Dilma não manifestou apoio, e Lula apoiou o candidato do PSB, ficando ele,sem mandato por 4 anos.

Supondo-se que Henrique Eduardo Alves aceite um dos 14 pedidos de impedimento que estão em sua mesa, mesmo que o julgamento dele passe para a nova legislatura, o processo não é alterado.

Passando para a nova legislatura, com a atual composição de forças, Michel Temer não teria nenhuma dificuldade de compor-se com PSDB,(54 votos) DEM,(22) PSB, (34) PROS (11) e SD, (15) PPS, (10) PEN (2) PTB (25) e, isso somado aos 66 deputados do PMDB e ao consenso atual da necessidade de apear o PT do poder, não teria grandes dificuldades em aprovar o IMPEACHMENT da presidentA Dilma Rousseff.

Resta saber se o Vice Presidente Michel Temer quer ser Presidente do Brasil. Eu acho que ele quer.