quinta-feira, 14 de março de 2013

BIENVENIDO FRANCISCO! ESTE ATEU TE SAUDA

Já faz uns dias que escrevi um comentário sobre a escolha do novo Papa, e projetei a escolha de um Papa conservador, como forma de reaproximar a Igreja Católica dos seus objetivos fulcrais.

Pois bem, a escolha do Cardeal  Jesuíta Jorge Mario Bergoglio, me surpreendeu somente no tocante à sua procedência não europeia, porque, de resto, o perfil dele já havia sido descrito por Joseph Ratzinger em seus diversos escritos.

(Confira aqui o texto a respeito)

Nem bem o Papa Francisco havia colocado a Mitra Papal, e os detratores de plantão já miravam na sua biografia, o que não deixa de ser um ótimo sinal. Foi acusado de não ter combatido a ditadura argentina, como se fosse papel da Igreja pegar em armas, e de homofóbico, por ter-se manifestado contrário ao casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Como bem observou Reinaldo Azevedo, num dos seus textos de hoje, Minutos depois do anúncio do nome do novo papa, entrou em ação a cadeia de difamação;"o papel da igreja é acolher o Pecador e não o pecado" e o admirável Jorge Mario Bergoglio se atem a esse princípio, condenando os movimentos pró-aborto e sem discriminar a quem aborta, condenando o casamento entre pessoas do mesmo sexo, mas não a pessoa do homossexual, enfim, um Papa CONSERVADOR.

Outra coisa que me impressionou foi a precisão cirúrgica da escolha; Um Papa conservador, combatente destemido de injustiças sociais e governos corruptos, oriundo de uma América Latina povoada por um clero esquerdopata e "progressista", que enxerga a igreja como suporte exclusivo para os pleitos das "minorias", na contra mão dos preceitos da Igreja e da vontade da maioria de seus fieis, e, em nome desse "progressismo", dão suporte a governos e movimentos corruptos e ilegais.

A hercúlea missão desse Jesuíta argentino vai além; Resolver o contencioso dos casos de pedofilia envolvendo membros da Igreja não vai ser uma tarefa fácil, pois a maioria deles são vintenários e alguns, quinquagenários, ao mesmo tempo em que estanca a sangria nos cofres do Vaticano, retirando as autoridades  eclesiásticas envolvidas e instituindo normas de controle mais rígidas, sem contudo, levantar mais um escândalo de enormes proporções.

Francisco, o Papa Jesuíta tem tudo para conter o avanço do "esquerdismo" dentro do clero da América Latina, pois já mostrou que admite sim, o envolvimento de seus comandados na política, desde que seja para combater a corrupção e as  injustiças, e, desde que seja em prol das "maiorias".

O Papa Francisco, por paradoxal que pareça, com o seu mais que confesso CONSERVADORISMO, é um bafejo de renovação na cansada imagem da Igreja Católica.









2 comentários:

  1. quanto ao fato de já terem denúncias, acredito que deve haver um dossie para cada um dos cardeais, desde que não alinhados com as brilhantes minorias barulhentas.

    ResponderExcluir
  2. Escolheste um tema complexo e polêmico, mas escreves muito bem Jorge! Abraços

    ResponderExcluir