domingo, 3 de fevereiro de 2013

FORÇAS ARMADAS - A DECEPÇÃO

O Brasil apodreceu.

A corrupção tomou conta de  todos os Poderes da República, ao mesmo tempo em que os atuais governantes atentam contra as liberdades Democráticas e ao Estado Democrático de Direito.

Diariamente leio nas redes sociais, cidadão revoltados, a clamar para que as Forças Armadas ajudem devolver o Brasil aos Brasileiros, e, a estes cidadãos, eu temo não ser portador de boas notícias.

As Forças Armadas Brasileiras veem sendo moralmente sucateadas desde antes de os Militares entregarem o poder.

A convivência com alguns dos atuais apoiadores deste governo, mas defensores ferozes dos governos militares de outrora, fez com que uma parte do oficialato das FFAA se tornasse tão corrupta quanto eles, e. em conjunto com esses canalhas aplicaram golpes intoleráveis aos então governantes, porém, a sua punição poderia provocar uma convulsão social de proporções não mensuráveis, então resolveram devolver o poder aos Civis.

Alguns desses escândalos chegaram ao conhecimento da imprensa, como é o caso da falência da CAPEMI, que lesou milhões de Brasileiros, o roubo de madeira retirada da Transamazonica, que resultou no assassinato do jornalista Alexandre Von Baumgartem e sua mulher, e o passa moleque que Antonio Carlos Magalhães e Roberto Marinho deram na NEC japonesa, com o auxílio de setores das FFAA.

Dentre os civis que apoiaram e contribuiram para o apodrecimento de setores de nossas Forças Armadas, alguns ainda estão aí, apoiando e acelerando o apodrecimento do lulo petismo, como josé sarney, roberto jefferson e delfim neto, e  outros morreram, como antonio carlos magalhães.

No governo sarney iniciou-se o sucateamento material, e acelerou o sucateamento moral do oficialato, e isto teve continuidade, com maior ou menor intensidade em governos posteriores.

Oficiais independentes, não acessíveis a subornos ou vantagens indevidas passaram a ser preteridos nas promoções e os mais vulneráveis favorecidos. Membros do Alto Oficialato que ousaram se insurgir contra a situação foram calados pela geladeira de cargos burocráticos ou a passagem precoce para a reserva, como foi o caso do General Augusto Heleno.

O mesmo se deu com a indústria bélica; alguns fabricantes de material bélico de alta tecnologia não resistiram ao descaso governamental e faliram, deixando o Brasil a merce do mercado internacional, como a ENGESA em 1993, a AVIBRÁS e IMBEL que desde o final dos anos 90 vivem em crise.

Finalmente, no início de seu segundo mandato, FHC extinguiu os Ministérios Militares e o Estado Maior das Forças Armadas criando então o Ministério da Defesa.
 
Esse ministério contou com a passagem de notórios pilantras na sua chefia, valendo citar o Embaixador José Viegas, posto para fora por envolvimento em escândalos e o mega embusteiro Nelson Jobin, de tristes  lembranças para nos brasileiros, mas os comandos militares suportaram essas cusparadas em suas fardas.

Finalmente, veio a suprema escarrada; o governo dilma rousseff humilhou de forma torpe a todos os militares ao nomear celso amorim para comandar o ministério da defesa, e, não se ouviu um só murmúrio dos atuais comandantes, que estão  nos cargos desde o governo lula, pois os mesmos não mais se preocupam com as humilhações sofridas, ocupados que estão, em manter seus cargos, seus "estatus" e  benesses.



E assim, de degrau em degrau, as nossas Forças Armadas desceram a um nível de vassalagem a um governo INJUSTO, ANTIDEMOCRÁTICO E CORRUPTO, jamais imaginado por qualquer brasileiro.





Nenhum comentário:

Postar um comentário