sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

GOVERNOS PETISTAS - UMA SÍNTESE

Final de tarde, um bate papo entre amigos de atividades e correntes politicas heterogêneas, e, eis que um deles me pergunta:

"Jorjão, você não se sente incomodado com o que tem escrito ultimamente? Não se incomoda em ser tão pessimista, catastrofista? Não tem medo de tomar um processo por bater forte em autoridades?"

Na hora eu não respondi porque a conversa derivou para assuntos mais leves, menos complicados, como convém a um papo de "descontração etílica", mas agora eu vou responder.

Meu caro; se existe alguém que se incomoda com o que tem tido que escrever e ler, este cara sou eu.

Afinal, quem, sendo pai e avô, gostaria de escrever que os que governam o país que você nasceu, onde seus filhos estão criando os seus netos, o estão levando à banca rota, comprometendo o futuro de seus filhos e netos? Creio que nenhum.

Quem, em sã consciência gostaria de dizer que o Presidente do seu país afundou a maior empresa nacional, e junto com ela toda a economia,  para fazer política rasteira e populista?

Quem gostaria de admitir que nos últimos anos, a sede de poder de um partido fez minar a sexta economia do mundo, levando-a ao ponto de ter que maquiar contas, contar mentiras contábeis para esconder seus fracassos e roubos?

Quem, meu caro, gostaria  de ver que as instituições da sua pátria foram vilipendiadas, prostituídas e apodrecidas a um ponto jamais imaginado pelo mais pessimista dos homens?

Quem gostaria, por mais perverso que fosse, de escrever  que seu país está a deriva, desgovernado, perdido num mar de corrupção, mentiras e incompetências?

Pois bem, meu amigo, o que temos hoje, depois de 10 anos de governos esquerdopatas é isso; um país beirando a banca rota, com seu sistema financeiro comprometido, seu parque industrial sucateado, o setor de comércio e serviços pendurados numa "classe média" cada dia mais endividada e inadimplente, e governados por uma classe política que já não se preocupa sequer em esconder a sua desonestidade e incompetência.

Quanto ter medo de ser perseguido, pŕocessado, asseguro-lhe que não; não tenho medo mesmo.

Se tivesse  medo de alguma coisa, eu não teria enfrentado as passeatas e movimentos de combate ao militarismo antes de completar meus 18 anos.

Meu único medo é me faltar força para continuar denunciando e lutando contra esta classe politica asquerosa que tomou o meu país de assalto.

Quanto a escrever que lula, dirceu renan, dilma e o resto dessa turma que se aboletou no poder são ladrões da pior espécie, eu reconheço que estou pecando, mas, infelizmente, pecando por ser impreciso quanto a extensão dos seus roubos, que com certeza são muito maiores que os noticiados diariamente pela midia, e, cuja extensão é provável que jamais saibamos.

Ademais, eu não os acuso de serem ladrões e canalhas, porque isso eles sabe que são, melhor do que qualquer um de nos.

Respondi?




Um comentário: