quarta-feira, 6 de junho de 2012

O DIA EM QUE OUSEI DISCORDAR DO AUGUSTO NUNES


O acerto eleitoral entre PSDB e PR provocou todo tipo de emoção negativa, e dessas emoções, nem jornalistas vividos, como Augusto Nunes da revista VEJA se viu livre ao publicar o seguinte comentário:
"05/06/2012 às 16:43 \ Direto ao Ponto
O acordo com o PR mostra que, para o PSDB paulista, a honra agora vale menos que 1 minuto e meio no horário eleitoral", e eu tenho que confessar que ao saber da notícia também tive essa impressão, e demorei muito para entender e digerir o fato.

Ao contrário do que Augusto Nunes e muito mais gente pensa, esse acordo tem muito pouco a ver com tempo de TV que este trará.

O objetivo deste acordo é armar o partido para ganhar uma eleição dentro do que é permitido pela legislação vigente, e, sob esse aspecto, eu o vejo como extremamente oportuno.

Se é verdade que lula pretende manter hadad candidato à prefeitura de São Paulo, o que eu duvido, ele está apostando uma boa parte do seu cacife político nisso, e uma aposta dessas tem que visar algo muito maior que governar a cidade que detém a terceira receita do país.

Na minha visão, se lula conseguir emplacar hadad na prefeitura paulistana agora, em 2012, ganhará força política para emplacar o palácio dos Bandeirantes em 2014 com o candidato que ele quiser, e isso combinado com uma volta dele, lula, ao palácio do Planalto, será um largo passo para destruir o pouco que resta de oposição e implantar o comuno/bolivarismo no Brasil em curtíssimo espaço de tempo, e parece que esse raciocínio é compartilhado por Serra e pelo PSDB.

Para executar um plano ousado como este, o lulo-petismo não vai se ater a princípios éticos, mesmo porque, ética e honra nunca foram predicados aplicáveis a ao pt e muito menos ao lula.

Sendo este o cenário: com a legislação eleitoral omissa quanto à injunções éticas, com um partido disposto a tudo para tomar o poder de vez, e para isso usando de todas as baixarias e acordos espúrios que se lhes ofereça, e com uma massa enorme do eleitorado que tem como única régua para ética e honra o valor do depósito do "bolsa família, cobrar dos seus opositores estes predicados é condená-los a mais uma derrota, só que desta vez, irreparável.

Por menos que gostemos desse e de outros acordos que certamente virão, eles irão funcionar como pontas de lança em camadas do eleitorado onde o discurso PSDBista não chega, tirando votos do lulo-petismo e trazendo-os para o Serra, que em uma eleição é o que interessa.

É um raciocínio cínico e simplista, meu admirado amigo, mas, infelizmente é assim que as coisas funcionam depois que o lulo-petismo reduziu a auto-estima do brasileiro a míseros depósitos do bolsa família, e, sendo assim, o único acordo político inaceitável é com o próprio lulo-petismo.

OU É ISSO, OU ESSA CANALHADA DA FOTO VOLTA TODA, E DESTA VEZ PARA FICAR ... O QUE VOCÊ PREFERE?

Nenhum comentário:

Postar um comentário